© 2019 Todos os direitos reservados

Receba nossas novidades por e-mail

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon

Blog

Como planejar uma viagem a Europa sem ficar muito apertado?

12/12/2018

 

Planejar uma viagem a Europa não é uma tarefa simples. Para a maioria das pessoas, assim como eu, são tantas opções de cidades e países legais que ficamos perdidos sem saber o que valerá mais a pena visitar. E como é sabido, quanto mais dias no velho continente, maiores são os gastos, aumentando assim a necessidade de um bom planejamento de tempo x dinheiro.

 

Neste post darei algumas dicas de como planejar financeiramente uma viagem para a Europa sem ficar muito apertado, ou se preferir, sem precisar fazer loucuras.

 

Por onde começar?

 

O primeiro ponto a se pensar é quando você pretende viajar. Quanto mais distante for a época da sua viagem, maior tempo você terá para ajuntar dinheiro e se planejar. A minha recomendação é começar a planejar uma ida a Europa com pelo menos dez meses de antecedência da data da viagem.

 

O segundo ponto é estimar quanto tempo você pretende passar na Europa. Se essa for a sua primeira vez no velho continente, indico uma viagem com duração de duas a três semanas. Não se pode esquecer, conforme mencionado no início deste post que quanto mais dias no destino, maiores serão os gastos.

 

O terceiro ponto é estimar quantos e quais países você pretende visitar. Muitos pensam em um primeiro momento, conhecer o maior número possível de lugares, imaginando ser possível colocar muitos países ou cidades em um roteiro de 15 a 21 dias. Definitivamente, esqueça dessa ideia. Além de tornar a viagem bastante corrida e cansativa, você não irá aproveitar nada (ou quase nada) de nenhum destino visitado. O legal de qualquer viagem é justamente poder viver e apreciar cada lugar com tranquilidade.

 

Para melhor aproveitar cada destino, deve-se levar em conta também o tempo gasto com deslocamentos entre cidades, esperas em estações de trem e aeroportos, arrumações de malas, check-ins e check-outs em hotéis, entre outros. Em cidades maiores como Paris, onde normalmente há muitas atrações, recomendo ficar pelo menos três dias completos. Em cidades médias como Lisboa, pelo menos dois dias completos. Em cidades menores como Florença, pelo menos um dia completo.

 

É importante ressaltar que a escolha das cidades/países a serem visitados influenciará fortemente nos seus gastos. Com isso, evite visitar muitos países com alto custo de vida em uma única viagem. Busque equilibrar as opções e defina quais serão suas prioridades.

 

Definindo seu orçamento

 

Após pensar sobre cada ponto acima, é hora de definir o seu orçamento para a viagem.

 

Primeiramente, é preciso saber quanto dinheiro levar para a Europa e começar a juntá-lo desde o início do planejamento. Muitas pessoas caem no erro de pensar, em primeiro lugar, nos valores das passagens aéreas e hospedagens e acabam se deparando com os altos gastos diários durante a viagem. Deve se lembrar que os gastos no destino além de serem flutuantes, não são parcelados, e estes, somados as nossas despesas mensais cotidianas, podem gerar um grande aperto nas finanças ou até mesmo um grande endividamento ao retornar da viagem, quando as contas chegarem.

 

Depois de fazer o levantamento dos gastos diários durante a viagem, é hora de pesquisar os valores dos demais itens. A ordem da compra será primeiramente o seguro viagem junto das passagens aéreas, onde você definirá onde irá começar e terminar a sua viagem. É muito importante fazer essa definição de forma precisa. Comece e termine sua viagem em destinos que você realmente tenha interesse em visitar. Muitos acabam caindo no erro de comprar a passagem aérea mais barata encontrada, sem levar em conta o destino inicial e final. Além do tempo perdido, é o barato que pode sair muito caro, pois acaba acarretando outros gastos que antes não estavam previstos, como hospedagens, alimentação e transporte até o primeiro destino que de fato gostaria de visitar.

 

Em relação ao seguro viagem, procure alguma opção que ofereça cobertura que permite ao viajante o reembolso total ou parcial da viagem por motivo de cancelamento. Afinal, não se sabe do futuro, e é sempre bom se reguardar o máximo possível de imprevistos. A aquisição do seguro viagem de forma antecipada é uma segurança extremamente importante para o seu orçamento. E por que adquirir juntamente com a passagem aérea principal? Porque a cobertura de cancelamento só é válida se as passagens aéreas dos trechos principais são compradas na mesma data da aquisição do seguro. É importante ressaltar que não é qualquer motivo que se enquadra na cobertura de cancelamento. Os planos que oferecem esta cobertura possuem alguns critérios. Veja detalhes AQUI (Página 126) em relação aos planos da Assistcard e AQUI (Página 34) em relação aos planos da Travel Ace. A Sintese Turismo oferece opções de seguro com preços imperdíveis. Solicite um orçamento!

 

O próximo passo dado será o momento de pesquisar e comprar as hospedagens, além de todos os deslocamentos internos necessários, tais como bilhetes de trens, aluguel de carro e/ou passagens aéreas internas. Em último momento, compre os passeios e atividades que desejar de cada destino.

 

Como estimar os valores a serem gastos?

 

Isso irá depender muito do seu perfil e da época que pretende viajar. Se prefere hospedagens mais confortáveis ou econômicas, se faz questão ou não de comer em bons restaurantes, se gosta de fazer muitas compras, se irá viajar na alta ou baixa temporada, se os países que irá visitar são caros ou baratos, são alguns dos exemplos que influenciarão no seu orçamento.

 

O preço médio de uma passagem aérea para a Europa saindo de Belo Horizonte, custa de 2.500 a 4.000 reais por adulto na baixa temporada e 3.500 a 6.000 reais na alta temporada (férias escolares e feriados prolongados). 

 

O gasto médio por diária de hospedagem em apartamento duplo varia entre 40 e 200 euros (Ou seja, 20 e 100 euros por adulto), levando sempre em consideração os países a serem visitados.

 

Em relação ao deslocamento, o valor médio do bilhete de trem varia entre 30 e 100 euros por adulto e do bilhete aéreo interno sem bagagem despachada entre 40 e 200 euros por adulto (se acrescentar 1 bagagem despachada de 23kg, o preço médio é de 40 euros por adulto e por trecho). A diária do carro varia entre 40 e 80 euros, sem pedágio incluso (clique aqui para pesquisar valores de pedágio). É importante ressaltar que financeiramente só compensa alugar carro se a retirada e devolução for no mesmo país.

 

Para as atividades (passeios, atrações e ingressos), separe o dinheiro juntamente com os valores para os gastos diários na Europa, sempre com muita antecedência da viagem. O gasto médio diário com atividades por adulto varia entre 20 e 40 euros.

 

Em relação ao gasto diário na Europa, 50 a 100 euros por dia e por adulto são suficientes para os gastos com transporte público dentro das cidades, fazer pequenas compras e para se alimentar dignamente. Quando você extrapola o limite em um dia, naturalmente compensa no outro. Em países mais baratos você economiza e compensa os gastos nos países mais caros.

 

Simulando o planejamento

 

Para ilustrar de forma mais clara, fiz dois tipos de simulações de planejamento financeiro para viagem a Europa. A primeira simulação é ideal para aqueles que preferem "sacrificar" mais as finanças, porém sem acumular nenhum gasto a ser pago após a viagem. Já a segunda simulação é ideal para aqueles que preferem diluir os gastos em um prazo um pouco maior, e não se importam em continuar pagando os gastos após a data da viagem. As duas simulações são bem parecidas, porém quando se pensa que somados a estes gastos tem as despesas mensais cotidianas e suas variáveis, a diferença entre elas pode se tornar muito grande.

 

Algo muito importante a ser considerado é que o parcelamento dos gastos variam de item e fornecedor. Os gastos diários no destino, passagens de trem e algumas atividades não permitem parcelar. Em relação aos demais itens, algumas companhias aéreas por exemplo, permitem o parcelamento no cartão de crédito em várias vezes sem juros, já outras em apenas poucas vezes e ainda outras não permitem parcelar. Alguns fornecedores de hotéis permitem o parcelamento em várias vezes sem juros, outros não permitem parcelar. Existem alguns fornecedores que permitem o parcelamento de todos os itens em várias vezes sem juros e com parcelas iguais. Porém, tudo dependerá do melhor custo-benefício a ser oferecido no momento da compra.

 

Conforme mencionado no início deste post, quanto mais distante for a época da sua viagem, maior tempo você terá para ajuntar dinheiro e se planejar. A minha recomendação é começar a planejar uma ida a Europa com pelo menos dez meses de antecedência da data da viagem. Nas simulações abaixo será considerada uma antecedência de dez meses. Os valores simulados são por adulto, porém considerando que o mesmo fique hospedado em apartamento duplo.

 

Importante: Os valores mensais referente as atividades e gastos diários você deverá juntar em sua poupança ou aplicação para serem gastos no destino. Os demais itens se referem a quando começarão e terminarão de serem pagos. 

 

Simulação 1

 

Ideal para aqueles que preferem "sacrificar" mais as finanças, porém sem acumular nenhum gasto a ser pago após a viagem

 

  • Mês e ano da viagem: Outubro de 2019

  • Duração da viagem: 15 dias (14 diárias)

  • Países a serem visitados: Portugal, Espanha, França e Inglaterra

  • Valores em Reais.

  • Câmbio em 12/12/2018: 1 Euro = 4,38 Reais

  • Início do Planejamento: Dezembro de 2018

 

 

Simulação 2

 

Ideal para aqueles que preferem diluir os gastos em um prazo maior, e não se importam em continuar pagando os gastos após a data da viagem.

 

  • Mês e ano da viagem: Outubro de 2019

  • Duração da viagem: 15 dias (14 diárias)

  • Países a serem visitados: Portugal, Espanha, França e Inglaterra

  • Valores em Reais.

  • Câmbio em 12/12/2018: 1 Euro = 4,38 Reais

  • Início do Planejamento: Dezembro de 2018

 

 

Conclusão

 

Os valores mencionados neste post são apenas estimativas de gastos. Não é possível ao certo saber se o orçamento planejado será suficiente ou não para toda a viagem, ainda mais se tratando de mercado, onde tudo pode acontecer. O Euro e a inflação podem disparar ou despencar, porém quanto maior e mais aprofundada for a previsão dos gastos, menores são as chances de se endividar. É sempre importante pesquisar a fundo e o mais detalhado possível tudo que irá ser gasto, principalmente em relação aos gastos diários em cada cidade a ser visitada.

 

E você, como organiza o seu orçamento de viagem? Tem algum truque para estimar quanto vai gastar? Já passou algum aperto, ou voltou com dinheiro sobrando?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Em Destaque

Santiago e arredores no verão: uma viagem que pode te surpreender!

22/05/2017

1/3
Please reload

Postagens Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload